Você sabe se está tendo prejuízo com o preço comercializado em seu produto ou serviço?




De acordo com dados do Ministério da Economia, o ano de 2020 bateu um recorde de 3.359.750 empresas abertas. Contudo percebemos que muitas empresas têm prejuízos por não saberem precificar seus produtos ou serviços, pois dentro do valor comercializado por elas, geralmente, não são inseridos todos os custos necessários, como despesas de luz, água, deslocamento entre outras. Mesmo nos trabalhos realizados em home office é necessário incluir todos os gastos que impactam diretamente com a atividade, para calcular e obter o lucro com o produto ou do serviço comercializado.

Segundo o Ministério da Economia, o Brasil ultrapassou os 20 milhões de empresas em atividade. Marca impulsionada pelo desempenho na abertura de novos negócios em 2020, a melhor em pelo menos uma década. No mesmo período, ocorreu o fechamento de 1.044.696 empresas, o que representa queda de 11,3% na comparação com 2019, tendo como saldo positivo de 2.315.054 empresas abertas.

Sabemos que um grande número de serviços e produtos são colocados no mercado e que, tanto os prestadores como os comerciantes precisam formar a venda. Em relação ao setor de serviços é uma questão subjetiva e, ainda, mais difícil de precificar. Existem muitos casos em que as pessoas erram na hora da formação do preço de venda e acabam ficando no prejuízo, por acreditarem que o valor comercializado está dando lucro. Pequenos empreendedores, muitas vezes, não inserem no custo o valor da mão de obra do serviço. São detalhes da precificação correta que os farão obter lucro ou não.

Mas, o que é precificação de produto ou serviço e como fazer?

Precificação é o processo de formação do preço de venda de produtos ou serviços. Ou seja, a definição de quanto o produto ou o serviço será vendido para o mercado consumidor, que está ligado à estratégia do negócio. É necessário levar em consideração alguns itens importantes como a análise de gastos, o mercado que está inserido e o retorno que se pretende obter.

Além dos gastos com o produto de revenda e/ou os insumos comprados para sua fabricação, é necessário adicionar os demais custos ou despesas e a margem de contribuição que cubra os custos fixos e o lucro pretendido. O valor da concorrência, a negociação com os fornecedores e o valor percebido pelo cliente, também, podem interferir no preço de venda do produto/serviço.

A Dedcon Serviços Contábeis pode ajudar o cliente a entender quais são os seus custos e suas despesas, entre outras informações importantes, para analisar a melhor forma de precificação para o seu negócio.

Aspectos como custo e despesa, devem ser compreendidos e considerados importantes no processo de precificação, segundo Derliane:

Custo

Todos os gastos:

·         relativos ao bem ou serviço;

·         utilizados na produção de outros bens ou serviços;

·         com a mercadoria que estamos vendendo;

·         com a elaboração do serviço; e

·         com a produção do produto.

Podendo ser:

·         Variável: varia de acordo com a quantidade produzida ou a quantidade de serviço prestado (ex.: matéria-prima, mão-de-obra ligada à operação);

·         Fixo: Não varia de acordo com a quantidade produzida (ex.: aluguel de fábrica).

Despesa

Bem ou serviço consumido direta ou indiretamente para obtenção de receitas.

Podendo ser:

·         Variável: Varia em relação à quantidade vendida (ex.: comissão de vendedores, impostos, taxas de administradoras de cartão, fretes, etc);

·         Fixa: não varia pela quantidade vendida, como todo o gasto para a estrutura da empresa (ex. contador, aluguel, pró-labore do sócio, etc.).

Serviço

DEDCON Serviços Contábeis

Endereço: Colina de Laranjeiras, Serra/ES
Instagram: @dedcontabil
Contato: (27) 3070-1474 – (27) 99824-6432


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Saiba quais são os procedimentos para abrir uma empresa